Indústria da Música 2022: Tendências e Apostas nas principais plataformas de streaming

Compartilhe:

Plataforma de análise musical lista as principais tendências da indústria em 2022

2022 State of Music: TikTok Is the New SoundCloud

 

De acordo com o Music Week, a plataforma analisou uma quantidade significativa de dados (mais de um trilhão de pontos de dados, milhares de artistas e playlists, milhões de faixas e vídeos e centenas de festivais) coletados das principais mídias sociais e canais de música, incluindo Spotify, TikTok, Instagram, Beatport e rádio.

O relatório “State Of Music” apresenta um detalhamento de quem e o que é popular nos canais relevantes, além de oferecer outras informações valiosas para profissionais da música. Por exemplo, o relatório afirma que apenas 1% dos principais artistas analisados ​​dominam todos os números de engajamento nas mídias sociais e canais de música. Isso significa que os artistas na longa data do streaming e das mídias sociais precisam inventar estratégias promocionais sólidas se quiserem se destacar – e o TikTok pode desempenhar um papel importante nisso.

Um novo estudo da plataforma de pesquisa e análise de música Viberate sugeriu que o TikTok “remodelará o negócio da música” em 2022. Para complementar o turbilhão de previsões para a indústria da música no início do ano, o Viberate usou dados de 2021 para mapear as tendências dos próximos 12 meses.

Ainda de acordo com dados da Viberate, algumas das tendências que definirão o negócio da música em 2022 são: música multilíngue se tornando mais mainstream, personalização virá à tona, TikTok atuará como uma plataforma de lançamento de carreira, vídeos curtos ganhando força e mistura ainda mais de gêneros.

Veja as cinco tendências:

Artistas multilíngues se tornarão mais populares: A sensação sul-coreana BTS chegou à lista Top 5 do Viberate em quase todos os canais, enquanto o YouTube viu um grande aumento na popularidade do pop asiático e gêneros latinos, especialmente o reggaeton. Ao contrário do rádio ou da TV, os canais de música online têm poucos ou nenhum gatekeeper, empurrando assim a música não inglesa para o mainstream.

“Personalizar tudo” impulsionará o sucesso artístico: Isso significa que gravadoras, artistas e outros profissionais se beneficiarão de abordagens de fãs para sua promoção, merchandising e distribuição. As experiências personalizadas também andam de mãos dadas com a garantia de receita digital, como gorjetas, NFTs ou assinaturas pagas.

O TikTok funcionará como uma plataforma de lançamento de carreira: O TikTok não foi apenas o site mais visitado em 2021, mas também ajudou artistas como Tokischa, Will Paquin e Crawlers a avançar e aumentar seus números de streaming. De certa forma, o Spotify ‘sela o acordo’ – os artistas que transformam um sucesso do TikTok em streams sólidos são aqueles com potencial real. Portanto, pode-se esperar que mais descobertas de talentos e esforços promocionais se concentrem no TikTok e nas mídias sociais.

Vídeos curtos vão dominar: Formatos facilmente digeríveis, como vídeos do TikTok, serão o formato promocional mais útil para os artistas se destacarem e serem descobertos. À medida que o público celebra a abordagem DIY, o conteúdo será mais importante do que o valor da produção.

As linhas de gênero ficarão ainda mais borradas: Atos em ascensão e inovadores como PinkPantheress provam que a mistura de gêneros é mais popular do que nunca. Os artistas e seu público preferem os humores aos rótulos de gênero tradicionais, com a tendência se estendendo a playlists de streaming populares para ocasiões específicas (condução, estudo, relaxamento). Por exemplo, a lista de reprodução “Songs To Sing In The Shower” do Spotify tem impressionantes 6,4 milhões de seguidores.

Clique aqui e confira a pesquisa na íntegra.

YouTube divulgou sua lista de “Artistas para ficar de olho” e apontou nomes de diversos ritmos, como o trap, o sertanejo e o piseiro. Em pesquisa anual, YouTube destaca 10 apostas musicais para 2022

YouTube do bem X YouTube do mal - 30/09/2021 - Laura Mattos - Folha

 

Segundo o YouTube, para a produção dessa lista, a plataforma usa “uma metodologia baseada em dados, que combina a análise de informações internas da plataforma, como, por exemplo, a curva de crescimento dos streamings e vídeos musicais dentro do YouTube, e a tendência de busca pelo nome dos artistas, além de parâmetros externos, como menções em redes sociais”.

Veja lista com resultado de pesquisa do YouTube:

Andressa Hayalla

A cantora de pagode foi uma das participantes do “The Voice Brasil” em 2018 e já gravou ao lado de Péricles, Felipe Araújo e Menos é Mais.

Brisa Star

Conhecida como fadinha do piseiro, a cantora mineira completa 15 anos em 2022. A artista teve duas músicas entre as mais tocadas do Brasil em 2021, inspiradas em hits de Miley Cyrus e Camila Cabello. Para este ano, prepara feats com Dennis DJ, João Gomes e Zé Felipe para os próximos meses. (Saiba mais)

Clarissa

Clarissa tem 23 anos e é dona de um dos hits virais de 2021, “nada contra (ciúme)”, canção indie pop que acumula mais de 9,5 milhões de visualizações no YouTube. A carioca começou o ano com uma parceria com a banda OutroEu (“Delírio”).

Dom Vittor e Gustavo

A dupla sertaneja Dom Vittor e Gustavo é formada pelo irmão de Marília Mendonça e por um ex-participante do ‘The Voice Kids’. No fim de 2021, eles trouxeram a música “Calculista”, primeira faixa inédita com a voz da cantora sertaneja após sua morte precoce.

Felipe Amorim

Felipe Amorim transformou o forró em rave e conquistou as paradas. O músico cearense de 24 anos entrou em 2022 em alta com hits de pisadinha e pagodão e shows que parecem festival de música eletrônica com pop nordestino.

Felipe Grilo

Felipe Grilo tem 25 anos e começou sua carreira musical na igreja. Hoje é uma das apostas do sertanejo e conta com mais de 2,5 milhões de views no vídeo de “Quebra Minha Promessa”.

Mari Borges

A cantora mineira de 16 anos Mari Borges começou a carreira fazendo vídeos de covers. Atualmente, a artista gospel faz um trabalho autoral e tem parcerias com Casa Worship e Sarah Beatriz.

Mc Caverinha

Conhecido também como Príncipe do Trap, Mc Caverinha virou vira fenômeno mirim do rap e do trapfunk após ver sua família ser despejada e compor sobre a tragédia. O cantor de 12 anos dançava em apresentações do irmão, mas seu sonho era cantar. Com o sucesso e shows semanais, já comprou casa para a família.

Rachel Reis

Rachel Reis é a revelação baiana que colocou MPB e arrocha para bailar. A cantora virou uma das maiores apostas da música brasileira para 2022 com a voz macia de ‘Maresia’ e agora finaliza seu primeiro álbum completo.

WIU

Outro destaque do trap na lista de apostas da plataforma é o produtor e rapper de 19 anos WIU. O artista lançou seu single de estreia “Sucrilhos” em Julho de 2019, e logo depois teve seu primeiro grande sucesso com “Mantém”, em parceria com Matuê.

Compartilhe: