Cazas de Cazuza: Nova montagem, novo elenco

Compartilhe:

Depois de 21 anos de sua estreia, o espetáculo musical, “Cazas de Cazuza” volta a encantar e emocionar o público no Rio de Janeiro.

Escrito e montado em 2000, na virada do milênio, por um grupo de jovens artistas, tendo à frente o diretor e compositor Rodrigo Pitta, “Cazas de Cazuza” se transformou num grande sucesso na época e teve uma enorme repercussão, sendo visto por 80 mil pessoas. Vinte e um anos depois, ele está de volta mostrando a história de oito personagens, Mia, Enrico, Justo, Bete, Deco, Vera, Ernesto e Dornelles, que vivem no Baixo Leblon, no Rio de Janeiro.

Na história, são abordados temas como preconceito, doença, sexo, drogas, amor e desemprego presentes nas 20 músicas de Cazuza, entre elas O Tempo Não Para, Pro Dia Nascer Feliz, Um Trem para as Estrelas, Codinome Beija-Flor, Ideologia, Bete Balanço e Brasil. No elenco, nomes já conhecidos do público, como o humorista Paulinho Serra, o ex-The Voice Leandro Buenno e a atriz Julianne Trevisol. Além disso, Jay Vaquer assina a direção musical.

Paulinho Serra em cena/ Foto: Robert Schwenck

Celebrado como um espetáculo inovador e uma genuína ópera rock desde sua estreia, em 2000, a nova montagem, com novo elenco, provou que, assim como as canções do poeta, “Cazas de Cazuza” está mais atual do que nunca. O espetáculo ganhou uma nova força, impulsionado pela crise social, financeira e humana que o país atravessa, que deu a seu roteiro, suas músicas e a sua história um peso de atualidade. “Cazas de Cazuza” é um marco, bonito e muito atual”, celebrou Lucinha Araújo, mãe do cantor e compositor.

Já se passaram 31 anos desde que Cazuza, um dos maiores poetas da história da música brasileira, nos deixou. Suas letras e canções, sua imagem irreverente e, principalmente, sua mensagem, deixaram uma marca e um legado único na história da MPB, transformando-o em um ícone jovem, cuja obra transcende o tempo e permanece viva.

Essa nova montagem de “Cazas de Cazuza” deveria ter estreado em 2020, como parte das comemorações dos 30 anos da morte do poeta.

Foto: Robert Schwenck

Dois componentes do elenco da versão original estão participando da nova montagem, entre eles o ator Fernando Prata, que interpretou Enrico em 2000, e volta a viver o papel do poeta desempregado 21 anos depois.

“Cazas de Cazuza” também foi escolhido como uma das principais atrações da programação do festival itinerante “Rock Brasil – 40 anos”, que acontece no CCBB.  A versão adaptada para o festival já foi vista no Rio e tem datas marcadas para os dias 16 e 17 de fevereiro de 2022 no CCBB Belo Horizonte; 31 de março e 1º de abril no CCBB São Paulo e 26 e 27 de maio no CCBB Brasília.

Sobre o espetáculo

Em menos de 50 apresentações, “Cazas de Cazuza” realizou  o sonho de jovens desconhecidos mas, desde então, nunca mais foi assistido. Sua trilha sonora, agora disponível nos serviços de Streaming, foi lançada em CD pela SOM LIVRE, fato raro na época, para uma produção teatral nacional. Em escolas de teatro musical como a CEFTEM, no Rio de Janeiro, o espetáculo é cultuado por uma geração que nem havia nascido quando foi montado.

 

Ficha Técnica:

Paulinho Serra (Dornelles)
Fernando Prata (Enrico)
Julianne Trevisol (Mia)
Leandro Buenno ( Justo)
Jade Baraldo ( Bete Balanço)
Yann Dufau(Deco)
Janamô ( Vera)
Alexandre Damascena (Ernesto)

Amanda Brambilla
Ella Fernandes
Grace Nascimento
Mavi Carpin
Alex-Ci Gugu Peixoto Raí Valadão

Participação especial de Fernando Prata
Arranjos vocais – Daniel Salve
Arranjos vocais adicionais – Rodrigo Pitta e Jay Vaquer

Banda:

Pianista / Tecladista – Anderson Nem
Guitarrista / Violonista – Caio Barreto
Baterista – Kelder Paiva
Baixista – Lancaster Lopes

Sound designer e técnico de som – Erick José de Lima
Microfonista – Bernardo Nadal
Roadie – Gugu Ferreira
Assistência de direção – Tauã Teixeira
Direção de Movimento e Coreografia – Joane mota
Assistência de coreografia – Mavi Carpin
Light design – Wagner Pinto
Cenógrafo – Vinícius Fragoso
Videomaker – Eduardo Souza
Figurinos – Ingrid B. Lima
Assistente de figurinos – Bárbara Barros
Provocação cênica – Ricardo Rizzo

Produção executiva – Thiago Amorim e Bianca Labruna
Coordenação de produção – Igor Dib
Produção técnica – Dandara Pavoas
Produção – Sandro M. dos Santos e Mônica Braga
Assistência de produção – Madda
Comunicação – Horácio Brandão / Midiorama Comunicação e Imagem
Consultoria jurídica – Felipe Laureano

Compartilhe: